Lebução fica situada em lugar alto e aprazível, na margem esquerda do rio Calvo, entre montanhas onde o tempo guardou riquezas e mistérios. A 25km da sede do concelho, goza de um clima de montanha com invernos frios, verões quentes e de paisagens deslumbrantes.

É uma aldeia tradicionalmente vocacionada para a agricultura (centeio, batata, castanha e vinho) e para o comércio de largas tradições. Em tempos remotos, Lebução, foi o centro das transacções comerciais de uma enorme área circundante, que se efectuavam por troca directa de produtos.

Monumentalmente, a Igreja abraça, do alto das suas torres sineiras, todo o casario disposto em anfiteatro e chama os fiéis à oração. É obra da renascença, de muros altos e bem alinhados, construção de uma só nave. O retábulo do altar-mor, é de apreciável valor artístico, com colunas salomónicas e motivos ornamentais e simbólicos, realçando as arquivoltas que guarnecem a abóbada polícroma da tribuna.O Orago da freguesia é S. Nicolau, mas a principal referência religiosa desta terra é Nossa Senhora dos Remédios, que tem o seu dia no calendário religioso - 8 de Setembro.

Aqui, como em todo o Nordeste de Portugal, usa-se uma linguagem oral, um conjunto de termos e expressões que, pouco a pouco, se vão perdendo com a partida dos mais idosos.

A hospitalidade está presente nas vivências diárias, marcadas por um espírito de partilha e solidariedade. A porta das casas de Lebução está sempre aberta para receber, à boa maneira transmontana, "quem vier por bem".


A ideia deste Blogue, surgiu da necessidade de preservar a identidade desta comunidade, aproximando todos os Lebuçanenses da sua terra natal.

A feira do Folar de Valpaços

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

A castanha teve um papel primordial na alimentação de vários povos ao longo da história



Muito nutritiva, a castanha teve um papel primordial na alimentação de vários povos ao longo da história. É também conhecida como o pão dos pobres e possui verdadeiras propriedades anti-anémicas e tónicas. Era outrora utilizada como alimento base em anos de más colheitas. É anticéptica, estomacal e ajuda a corrigir problemas de atraso no crescimento das crianças, anti-hemorrágica, combate problemas de varizes e hemerroidas, náuseas, vómitos e diarreias.

As folhas jovens cozidas na primavera podem ser utilizadas para acalmar ataques de tosse. A casca da castanha, misturada com a casca do carvalho e folha de nogueira em decocção pode ser aplicada em irrigações vaginais para estancar hemorragias uterinas. O chá de folhas de castanheiro, ao contrair as mucosas, inibe os ataque de tosse violenta, daí ser recomendado contra a tosse convulsa, bronquite e expectoração. É ainda utilizado em gargarejos. Em casos de garganta inflamada, pode ainda ser utilizada para aliviar dores reumáticas, de articulações e musculares.

Fonte: SapoLifestyle

















































quinta-feira, 29 de setembro de 2016

A pedra Bolideira localiza-se a cerca de 18 km de Chaves


(Monumento Natural)

A pedra Bolideira localiza-se a cerca de 18 km de Chaves, próximo da estrada nacional nº 103 (Chaves/Bragança) no maciço granítico da serra do Brunheiro que se eleva a este do vale de Chaves e atinge a cota de 919 m de altitude. Na subida desde Chaves observam-se grandes blocos graníticos, mais ou menos arredondados, que povoam as encostas como gigantescos cogumelos. A famosa “pedra bolideira” é um dos maiores e sem dúvida o mais interessante desses blocos. Tem forma irregular, achatada com mais de 3 m de altura e cerca de 10 m de comprimento e largura, com a particularidade de pesando várias toneladas ser capaz de se mover, em movimento oscilatório, com um empurrão de qualquer pessoa.
Fonte: Chaves
          História, Cultura e Património















































quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Vaca loura arrebenta e estoura




Vaca loura, o bichinho que eu, e as minhas amigas de escola, torturávamos. Há quantos anos!
Há dias deparei-me com uma, arrastando-se, pelos caminhos de Nozelos. Mas o ritual não se cumpriu.
Nos meus tempos de escola, quando nos deparávamos com uma, lá saía a lengalenga:
"vaca loura arrebenta e estoura
com um dedo molhado
que te leve o diabo"
Logo de seguida, cuspia-se-lhe em cima. E não é que ela rebentava mesmo?
Eu nunca vi, mas afirmava-o, com toda a convicção. Assim como as minhas amigas.
















































terça-feira, 27 de setembro de 2016

E tudo isto foi possível graças ao trabalho, empenho e dedicação do Dr. Adérito Medeiros Freitas



E tudo isto foi possível graças ao trabalho, empenho e dedicação do Dr. Adérito Medeiros Freitas, que nos deu a conhecer estas ancestrais estruturas, ligadas ao fabrico do vinho, em livro publicado pela Câmara Municipal de Valpaços.


"2000 anos depois, os romanos voltam a vinificar nos lagares cavados na rocha em Santa Valha.
O Procurattore com o seu escriba e a sua esposa explicaram a fabricação do mosto.
Não faltou o legionário na defesa do precioso néctar, assim como músicos e malabaristas evocando as destrezas de Baco."
(Foto e texto: Jorge Pires)


"Santa Valha,

Cobre-nos com o manto dos nossos antepassados romanos para nos desvendar o segredo da produção deste riquíssimo vinho, fruto desta terra abençoada pelos Deuses ... "
(Isilda Maia Hirtz)















































segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Parte do encanto do figo vem do seu sabor e textura únicos




Parte do encanto do figo vem do seu sabor e textura únicos. Os figos são sedutoramente doces e têm uma textura complexa que alia um tegumento maduro à pele suave e sementes estaladiças.

Adicionalmente, visto que os figos frescos são tão delicados e perecíveis, alguma da sua mística vem da sua relativa raridade. Devido a este facto, a maioria dos figos são secados, quer através da exposição à luz do sol, quer através de um processo artificial, criando o fruto seco doce e nutritivo que pode ser apreciado durante todo o ano. Os figos crescem na figueira (Ficus carica), membro da família Morus. São especiais por terem uma abertura, conhecida como «poro» ou «olho», que não está ligada à arvore, mas que ajuda ao desenvolvimento do fruto, ajudando-o a comunicar com o meio ambiente.

Os figos variam drasticamente de cor e subtileza de textura, dependendo das variedades, que ultrapassam as cento e cinquenta.

Fonte: Alimentação Saudável














































domingo, 25 de setembro de 2016

Deambulando pelas páginas do Facebook



Deambulando pelas páginas do Facebook dou comigo a pensar _ isto é uma máquina de formatar santos, anjos e arcanjos ( não sei muito bem o que isso é) amigos, solidários, tolerantes, com uma enorme capacidade de compreender e aceitar os outros.
Neste paraíso virtual, onde reina o belo e o bem, somos todos imbuídos de sentimentos nobres, honrosos, de partilha e tolerância.

Estas atitudes lamechas, de príncipes e princesas, reis e rainhas, de maridas e esposos, de lindas, lindas, lindas, guerreiras, mães galinhas, mulheres de armas ... deixa-me, claramente, apreensiva e, direi mesmo, perdida.

Tanta hipocrisia para quê?













































sábado, 24 de setembro de 2016

Caminhante não há caminho, só há estrelas no mar





Caminante, son tus huellas
el camino y nada más;
Caminante, no hay camino,
se hace camino al andar.
Al andar se hace el camino,
y al volver la vista atrás
se ve la senda que nunca
se ha de volver a pisar.
Caminante no hay camino
sino estelas en la mar.

António Machado